quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

A Nota Fiscal do Consumidor Eletrônica (NFC-e) é liberada

A Nota Fiscal do Consumidor Eletrônica (NFC-e) é liberada em vários Estados
trazendo mais agilidade e menos custos para o varejo

A Consinco foi pioneira na implantação do sistema nos estados do Pará, Amazonas e Acre

São Paulo, 28 de janeiro de 2015 

Em breve, a NFC-e (Nota Fiscal do Consumidor Eletrônica) poderá substituir o SAT - sistema composto de hardware e software para autenticação de cupons fiscais em pontos de vendas no Estado de São Paulo. A NFC-e é uma inovação, pois reduz a necessidade de impressão, é mais simples porque elimina boa parte da burocracia e proporciona menores custos de implantação.


A regulamentação do uso é definida pelos Estados da Federação. No Rio Grande do Sul e no Acre, por exemplo, a utilização da NFC-e já é obrigatória. Em São Paulo, onde o novo sistema poderá ser implantado, as empresas poderão utilizar recursos mistos - NFC-e, Impressora Fiscal e SAT e, a partir de abril, o SAT ou a NFC-e serão obrigatórios nos segmentos de autosserviço, atacado, varejo, farmácias, restaurantes, postos de combustíveis, perfumes e cosméticos.

A Consinco foi pioneira no desenvolvimento da NFC-e por ter participado de projetos-piloto bem sucedidos nos primeiros Estados onde o recurso era obrigatório. No Pará, por exemplo, a Consinco implantou o projeto pioneiro do Estado na rede SuperNorte Supermercados, numa parceria com a Secretaria de Estado da Fazenda. As redes Nova Era e Seta (Amazonas), Pague Pouco (Acre), Luzitana (Rondônia), Ideal e Rede Compras (Paraíba) e Comercial Zaffari (Rio Grande do Sul) estão entre os clientes da Consinco que já utilizam a NFC-e.

Entre as vantagens para as empresas que decidem operar com o NFC-e, destacam-se a eliminação de obrigatoriedade de impressoras fiscais; a dispensa de exigências de homologações, lacrações, atestados de intervenção; custos menores tanto para implantação quanto para manutenção; o envio da nota em tempo real; maior velocidade na impressão dos documentos, entre outras. Além disso, a NFC-e é compatível com dispositivos móveis (coletores, smartphones e tablets), que deverão ser cada vez mais utilizados pelas lojas.

O consumidor também ganha com a NFC-e pois poderá checar detalhes de suas compras por meio de smartphones ou tablets; verificar a validade dos documentos, tendo a certeza de que suas compras estão sendo realizadas segundo as normas legais; consultar notas em tempo real (online) por meio do portal da Sefaz, via QRCode ou chave de acesso, e receber os documentos de venda por e-mail.

"A Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica veio substituir os atuais cupons fiscais em papel, trazendo agilidade, menores custos e acesso virtual. O pioneirismo da Consinco na produção e implantação dos dois sistemas (NFC-e e SAT) possibilita aos varejistas trabalhar com uma das opções ou até mesmo com o sistema misto de forma segura", afirma Flávio Roman, gerente de produtos da Consinco responsável pela concepção e desenvolvimento de todo o projeto.  
Postar um comentário