quarta-feira, 14 de maio de 2014

CLL Extract Data

Com o lançamento da nova release EBS 12.2, desde Dezembro, a Oracle criou um novo produto de localizações, chamado “CLL Extract Data” esse produto permite extrair dados do EBS de qualquer tabela, gerando uma mensagem XML, própria para cada parceiro.  

Não tem dependência do Oracle Workflow, AQ, Cadastro de business events e eventos nas tabelas XXISV, pode ser usado com qualquer versão do EBS R12.x.



Ele cria uma trigger na base que exporta os registros para uma tabela staging e de lá pode ser consumido via BPEL, ODI ou conexão JDBC.

A Novelis já está usando.

Algumas vantagens:

1)100% suportado por localizações
2)Pode ser usado sobre qualquer tabela e até sobre tabelas custom.
3)Não tem as limitações de performance dos métodos usuais que usam WF, business events, AQ etc...
4)É free para todo cliente EBS.
5)Suporta alto volume

Limitações (Depende do ponto de vista!):
1)Só outbound.
2)Só integrações assíncronas.

Tela do Extract, no momento de iniciar a integração, com dados da tabela de Condições de Pagamento do AR:






















Quando você concluir essas etapas, você pode compilar a integração ou definir campos importantes para o seu arquivo XML. 
O XML tem dois campos definidos por padrão, são eles: RowId e Transaction_Type. A informação é relevante para a linha de dados sofreu a manutenção.

Clique em XML Elements,  para definir outros campos no arquivo XML. Você deve escolher os campos da tabela de origem que você definiu para integração: 


Na aba Fixed Values, você pode inserir valores fixos para os dados XML. Por exemplo, estamos criando uma tag chamada "XmlVersion" e essa tag  sempre deverá ser preenchida com o valor "1.0":


Na aba Programs, você pode selecionar os objetos de banco de dados, utilizando campo "Program Name" e no campo "Subprogram Name". Esses campos de base de dados pode conter packages/funções ou funções individuais e deve ser utilizado no momento da montagem da tag. No exemplo abaixo, estamos criando uma tag chamada "OrgID" e essa tag deve ser preenchida sempre com o valor de retorno do programa:  FND_PROFILE.VALUE( ‘ORG_ID’ ).




Em Program Parameters, você terá o que precisa para completar com os parâmetros do objeto selecionado. Você tem dois tipos de parâmetros: 

Colunas: você pode escolher apenas as colunas da tabela de origem; 
Valor Fixo: você pode digitar um texto livre. 

Atenção: será passado como os parâmetros das funções selecionadas no passo anterior. 


Após  compilar essa integração. O “CLL F395: Freezing Integrations (Freezing Integrations)” programa concorrente deve ser executado com sucesso e uma trigger  deve ser criada com as informações definidas. 
A partir daí, todas as transações (Transaction_Types: INSERT, UPDATE ou DELETE) ocorrendo na tabela de origem deve criar um XML e armazenado na tabela de destino. 


Maiores informações, consulte o guia de implementação:

https://support.oracle.com/epmos/main/downloadattachmentprocessor?attachid=1609029.1%3AIG&action=inline

Contribuiu com essa informação, meu amigo, Ricardo Koesling, arquiteto de soluções, da Oracle.

Postar um comentário