segunda-feira, 2 de junho de 2008

Seis Sigma


Olá pessoal!

Já tinha ouvido falar bastante em implementações de metodologias voltadas para excelência em processos, pois me interesso demais pelo tema.

Semana passada fui a uma oficina de conhecimentos aqui na empresa.

E falamos bastante do Seis Sigma, aliás temos uma equipe apenas para implantações de projetos com esse nível.

Hummm.... o que é isso?

Na década de 80, a Motorola, promoveu o desenvolvimento da metodologia com o objetivo de melhorar a qualidade dos seus produtos, passando a medir os defeitos em todas as etapas de produção de forma consistente.

Criou-se então, uma metodologia estruturada para fornecimento de produtos e serviços melhores, mais rápidos com custos mais baixos; com uma forte base em conhecimento de processos e através da redução da variabilidade dos processos. Seu principal objetivo é eliminar defeitos e ineficiências em processos, produtos e serviços.

Certo...
  1. Selecione um problema.
  2. Defina os objetivos de desempenho.
  3. Estabeleça tolerâncias operacionais.

Fez isso?

Agora podemos começar a brincar.

Essa metodologia segue um roteiro, conhecido como DMAIC (Define, Measure, Analyse, Improve, Control);

Definir: Analise os requisitos do cliente e as necessidades do negócio, para identificar os processos críticos que definirão a escolha dos projetos que serão desenvolvidos.

Medir: Meça o sistema existente. Estabeleça métricas válidas e confiáveis para ajudar a monitorar o progresso rumo às metas definidas no passo anterior. Comece por determinar o ponto de partida atual. Utilize a análise de dados exploratória e descritiva para ajudar a entender os dados.


Analisar: Analise o sistema para identificar formas de eliminar a lacuna entre o desempenho atual do sistema ou processo e a meta desejada. Aplique ferramentas estatísticas para orientar a análise.

Implementar: Incremente o sistema. Seja criativo para achar novas maneiras de fazer melhor as coisas, de forma mais econômica ou mais rápida. Use o gerenciamento de projetos e outras ferramentas de planejamento e gerenciamento para implementar a nova abordagem. Empregue métodos estatísticos para validar a melhoria.

Controlar: Controle o novo sistema. Institucionalize o sistema aperfeiçoado modificando os sistemas de remuneração e incentivos, política, procedimentos de planejamento das necessidades de material, orçamentos, instruções operacionais e outros sistemas de gerenciamento. Pode ser interessante adotar sistemas como ISO 9000 para garantir que a documentação esteja correta.

Muitas empresas têm sucesso na coleta da informação e dos dados necessários à sua atuação, mas ainda deixam a desejar quando tratamos de gerenciamento de processos, principalmente devido a dinamismo e flexibilidade.

O ERP é, de fato, um “valor agregado” ao negócio, dado os tamanhos benefícios que proporciona. Porém, ainda há muito espaço para metodologias que ofereçam maior flexibilidade na gestão de processos.

Busque
Deseje
Anseie

CONHECIMENTOS

O Oracle como qualquer outro ERP ainda impossibilita que regras de negócio sejam modificadas a todo instante, o que, muitas vezes, é necessário.

Podemos ter problemas no processo que só serão notados quando o sistema já está em produção, ou pior, é buscado erros na configuração e workflows e o processo acaba sendo esquecido, fazendo o sistema o único vilão da história.

Pense nisso.

Como posso obter excelência no que faço?
Posso ficar corrigindo defeitos operacionais o tempo todo. Mas que tal avaliar os processos antes de concordar com o usuário que o sistema não presta? rsss*

Não se melhora o que não se entende.

Um Projeto Seis Sigma requer um período de gestação de dois a três meses para caracterizar o processo e finalizar a análise do problema.

O intuito é trabalhar com conhecimentos de causas de até 99.9997% buscando a perfeição.

CONTROLE DA QUALIDADE TOTAL E MELHORIA CONTINUA

Nunca parar, sempre melhorar.
Observar, experimentar, inovar.

Bom... até o próximo post, quem quiser mais material a respeito me envie um e-mail!!!
Postar um comentário