sexta-feira, 16 de maio de 2008

EDI (Electronic Data Interchange)



Olá pessoal!

No meio de tantos acontecimentos, acabei por demorar um pouco mais para publicar um novo post.
Em conversa com um amigo que trabalha com as codificações e implantação de EDI, resolvi contar um pouco prá vocês.

EDI -> Como?

É de comer? rsss*

Intercâmbio Eletrônico de Dados, nada mais é do que a transferência de dados pela net. Ou seja, é uma tecnologia amplamente utilizada para tro
ca automatizada de documentos entre aplicações diferentes. Permite que os parceiros da cadeia de valor troquem ordens de compra, faturas, avisos antecipados de remessa e outros documentos comerciais diretamente de um sistema para outro, sem intervenção humana. Vantagens comprovadas incluem menos erros, custos mais baixos de administração e períodos mais rápidos entre o pedido e o pagamento.

Quando você faz uma transferência bancária, o EDI está presente.

Quando faz uma compra, lá está o EDI.

O Oracle utiliza amplamente esta tecnologia.

Amigos do AR, AP e etc... quando enviamos boletos a banco através de concurrents que nos traz todas as informações em formato de arquivo e posteriormente entramos no site do banco e fazemos o upload, utilizamos esta tecnologia. Ela é responsável pela eliminação de erros, os inevitáveis erros resultantes da entrada manual de dados.

A linguagem de comunicação é essencial para o EDI, pois as informações geradas por um sistema devem ser interpretadas automaticamente por outro sistema, em outro computador de uma outra empresa.

Empresas diferentes têm necessidades, processos, formas, sistemas de computadores, softwares e sofisticação técnica diferentes. Ao implementar o EDI, é preciso levar em conta questões como sua integração como os processos internos da empresa e a maneira de trocar os dados de acordo com as necessidades dos parceiros. Para que os documentos eletrônicos e os dados fluam harmoniosamente entre as empresas e sejam corretamente interpretados, é preciso que sejam respeitadas certas regras. Essas regras definem o conteúdo de informação, isto é, os dados dos documentos, e a forma como eles são transmitidos.

Na implantação de um projeto EDI muitas empresas são tentadas a definir sua própria linguagem , impondo-a aos seus parceiros. O tempo requerido para uma empresa adequar seus sistemas a qualquer linguagem EDI não tem sido na prática inferior a 60 dias, porém se essa linguagem for um padrão de mercado, os mesmos 60 dias habilitam a empresa a praticar EDI com muitos parceiros.

Quais os benefícios do EDI?

Os principais resultados atingidos com a implantação do EDI são:

  • Redução de custos administrativos e operacionais, frente à brusca redução dos trâmites, que originam montes de papéis, os quais operam em fluxos viciosos de vai-e-vem de vias de documentos, protocolos e assinaturas;
  • Alinhamento com o padrão GS1 de identificação física dos itens comerciais e unidades logísticas;
  • Redução de estoque acontece à medida que o gerenciamento dos produtos permite a reposição calculada sobre o consumo, firmando-se alianças estratégicas entre fornecedores e clientes;
  • Aumento de vendas devido ao monitoramento constante do consumo e planejamento pré-acordado para a rápida reposição por parte do fornecedor;
  • Valorização dos profissionais de compras e vendas, quando os mesmos assumem a função de estrategistas de negócios;
  • Agilidade no processo, porque grandes volumes de dados comerciais podem ser comunicados de um computador a outro em questão de minutos, permitindo, por exemplo, reduzir prazos de entrega e garantindo maior satisfação por parte do cliente;
  • Eliminação de erros, o EDI elimina os inevitáveis erros resultantes da entrada manual de dados;
  • Aumento da produtividade, pois o EDI permite que as companhias controlem e manejem melhor as necessidades de produção, compras e entregas. O EDI é um componente chave nos elos de ligação entre cliente, fornecedor e transportador na fabricação "just-in-time" e na "quick response", resultando em significativas reduções nos níveis de estoque;
  • Outros benefícios, redução de saldos; redução de itens faltantes; redução de devoluções; agilização do recebimento de mercadorias; entre outros, são percebidas quando entra em produção o projeto EDI;

Entenda um pouco sobre os padrões do EDI

Sistema GS1 é um conjunto de padrões, que possibilita a gestão eficiente de cadeias de suprimentos globais e multissetoriais, identificando com exclusividade produtos, unidades logísticas, localizações, ativos e serviços. Ele facilita os processos de comércio eletrônico, propondo soluções estruturadas para mensagens eletrônicas e viabilizando a total rastreabilidade das operações.

Os números de identificação podem ser representados por meio de símbolos do código de barras para possibilitar a leitura eletrônica (óptica) no ponto de venda, no recebimento, nos depósitos ou em qualquer outra etapa, onde seja necessária a captura de dados nos processos de negócios. O Sistema é projetado para superar as limitações decorrentes do uso de codificações específicas (restritas) de um setor, organização ou empresa, e tornar o comércio muito mais eficiente e reativo aos clientes.

Além de fornecer números exclusivos de identificação, o Sistema também proporciona informações adicionais, tais como datas de validade, números de série e números de lote mostrados na forma de código de barras. Esses números de identificação também são usados em mensagens do intercâmbio eletrônico de dados (EDI) para aumentar a velocidade e a precisão das comunicações.

O Sistema GS1 oferece padrões de mensagens estruturadas EANCOM para EDI, baseado no EDIFACT (Electronic Data Interchange For Administration, Commerce and Transport) elaborado pela ONU).

Até o próximo post!!!
Postar um comentário