segunda-feira, 29 de setembro de 2008

O mercado ERP


Olá pessoal!

Ser um consultor funcional ERP hoje é um grande negócio, excelente se você escolher o melhor do mundo, o Oracle :)

Mas falando sério, é um mercado em larga escala de crescimento com novas tecnologias sendo implementadas e mercados a serem
conquistados.

Como trabalho numa empresa grande, convivo com funcionais de vários ERP e podemos ter visões diferenciadas nesse meio.

O bom profissional conhece seu sistema, mas não deixa de enxergar outros ERP também, seus diferenciais, posição no mercado, entre outros. Nesse post, citaremos duas grandes empresas, SAP e Microsiga.

Hoje já se fala na estagnação do mercado de ERP. As empresas estariam partindo para alternativas mais sofisticadas, com o SOA, por exemplo. Porém, as empresas que ainda estão na liderança não concordam. A SAP, por exemplo, acredita que, ao contrário do que se imagina, ainda existe uma parcela do mercado que não foi conquistada por nenhum fornecedor.

Essas empresas, a maioria do setor público, contam com sistemas desenvolvidos internamente. Para a SAP, o atual momento econômico exige que elas partam para uma solução de gestão reconhecida. Muitas empresas fizeram IPOs (oferta pública inicial, do inglês, initial public offering) e agora precisam de mais transparência. Sistemas desenvolvidos internamente não cumpririam esse papel, fato que pode vir a manter aquecido o mercado de ERP.

A grande "sacada" do momento está em se fixar no mercado de pequenas e médias empresas, pois das grandes o mercado está quase saturado pela SAP e Oracle.

Segundo o instituto de pesquisas, Yankee Group, o ranking dos ERP no mercado de médio porte está com as seguintes posições, liderado por softwares nacionais:
  • MICROSIGA e DATASUL (Em julho de 2008 foi anunciada a incorporação da Datasul pela TOTVS, controladora da Microsiga, numa operação com valor aproximado de 700 milhões de reais)

  • ORACLE (Reforçada por PeopleSoft, Siebel e JD Edwards)

  • SAP

Marcas locais x Marcas Mundiais, o dilema

Essa dúvida requer muita análise. Marcas mundiais possibilita manter o controle mundialmente sobre seu ERP, enquanto que MRPs (planejamento das necessidades de materiais, do inglês material requirement planning) locais permite regularização com a legislação local, incluindo tais áreas “difíceis” como Folha de Pagamentos, Recursos Humanos, impostos locais, etc.

Oracle E-Business Suite Special Edition, Microsoft Dynamics, SAP mySAP or SAP B1 (Business One) – estes ERP estão localizados para o mercado brasileiro desde o ponto de taxas & legislação quanto a interface em Português e suporte de idiomas. Tais características como o suporte multi-moeda são comuns para todas as marcas líderes de ERP, entretanto o dilema da localização também inclui tais módulos específicos do país como Folha de Pagamentos & RH, Manufatura (relatório especial a autoridades de inspeção), Taxas municipais & estaduais.

Consolidação ERP

Foram 39 aquisições desde 2006. Na média, mais de 12 por ano. Uma por mês. O ritmo da Oracle impressiona. Mais do que isso, gera inquietações no mercado. De um lado, o arrojo e gigantismo da operação, de outro, o desafio da integração e da continuidade dos produtos adquiridos. A equação econômica dessas aquisições baseia-se no fato da Oracle continuar a desenvolver seus produtos. Além disso, a base instalada está sendo mantida, assim como o suporte aos clientes. Ou seja, continuar a desenvolver é fundamental. Todas as empresas que a Oracle adquiriu têm plataformas abertas.

Do ponto de vista da base instalada, é tudo facilmente integrado por meio das ferramentas de middleware. A Oracle Fusion possui uma plataforma de ferramentas integradas. O middleware é parte importante do Fusion. O middleware integra qualquer aplicativo que esteja embaixo de qualquer tecnologia. O E-Business Suíte está cada vez mais com as ferramentas do Fusion
totalmente integradas, assim como o Siebel e o PeopleSoft. Essa é a receita da Oracle para, ainda em 2009, ultrapassar a sua rival SAP na briga pelo mercado de ERP.

Espero ter ajudado a deixá-los mais integrados com nossa atual situação no mercado.
Até o próximo

post!

quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Oracle oferece integração direta entre Aplicações Empresariais para Utilities

Oracle Application Integration Architecture para Utilities
Permite às empresas implementar aplicações de forma mais rápida enquanto aprimora o serviço aos clientes



News

A Oracle disponibiliza no mercado o Oracle Utilities Direct Integration - uma integração pré-construída entre o Oracle Utilities Customer Care, o Oracle Financials e o Oracle PeopleSoft Enterprise Financial Management. Esta integração direta proporcionará maior eficiência, melhoria no atendimento ao cliente e redução dos custos de propriedade de tecnologia (TCO, em inglês).

A integração direta baseia-se no Oracle Application Integration Achitecture for Utilities, a primeira plataforma de integração de processos empresariais da indústria. Com base no Oracle Fusion Middleware, o Oracle Application Integration Achitecture for Utilities oferece integrações de processos pré-construídos para produtos da linha Oracle Utilities, bem como para produtos de outros fabricantes e aplicações legacy permitindo às empresas de serviços implementar aplicações de forma rápida e com a redução de riscos.

O anúncio vem ao encontro da estratégia da Oracle em oferecer soluções completas, integradas e do tipo end-to-end adaptadas a uma arquitetura aberta de database e baseadas em padrões de middleware. Esta iniciativa da Oracle ajuda os clientes a simplificar os ambientes de informática, reduzir custos e riscos, além de proporcionar grandes opções e flexibilidade.

Details

Como as empresas do setor buscam atender às necessidades dos clientes, adaptá-las à instabilidade da indústria e promover a sustentabilidade ambiental, elas devem integrar aplicações de missões críticas - como atendimento ao cliente e cobranças - oferecendo funções financeiras.
A integração direta entre o Oracle Utilities Customer Care and Billing (atendimento ao cliente e cobrança) e as aplicações financeiras Oracle permite garantir um fluxo automatizado direto das transações financeiras durante todo o ciclo de vida, evitando uma dupla distribuição de informação entre elas.

Por exemplo, quando uma companhia faz um reembolso a um cliente, ele inicia o processo no Oracle Utilities Customer Care and Billing. A nova função de integração direta enviará automaticamente a solicitação de pagamento à aplicação Oracle responsável pela gestão financeira. Uma vez concluída, a aplicação financeira envia os detalhes finais da transação à aplicação de atendimento ao cliente, que manterá os registros atualizados. Caso o cliente ligue no futuro com alguma questão, o responsável pelo atendimento terá acesso imediato às informações do pagamento precedente, o que permite mais rapidez na solução de um problema e melhoria no atendimento.

Esta forte integração aumenta a eficiência dos usuários finais de uma aplicação que não precisam "aprender" outra aplicação ou realizar ajustes em sua rotina de trabalho.
A integração direta também permite aos clientes reduzir os custos e riscos de um projeto de implementação, uma vez que não é mais necessário definir os pré-requisitos ou construir os padrões de integração entre o serviço de atendimento ao cliente e as aplicações financeiras.A integração direta entre o Oracle Utilities Customer Care and Billing e o Oracle Financials dão suporte ao Oracle Utilities Customer Care and Billing 2.2, ao Oracle E-Business Suite Release 12 e ao PeopleSoft Enterprise 9.0.

sexta-feira, 12 de setembro de 2008

Integração do Oracle® CRM On Demand ao Siebel CRM



PRESS RELEASE

Oracle apresenta Integração do Oracle® CRM On Demand ao Siebel CRM

Nova integração pré-construída fornece uma visão holística dos dados do cliente em implementações de CRM on-demand e no próprio local


Redwood Shores, Califórnia (EUA) – setembro de 2008

· A Oracle (NASDAQ: ORCL) anunciou recentemente a integração do Oracle® CRM On Demand ao Siebel CRM completa e pré-construída que gera uma visão única do cliente em implementações de CRM on-demand e no local.

· A Oracle fornece uma visão holística da solução para gerentes executivos e de vendas, além da capacidade de se fazer análises com ela ao sincronizar dados do cliente do Oracle CRM On Demand e do Siebel CRM.

· Essa integração ajuda às empresas, que precisam de funcionalidade no local para CRM setorial centrado nos processos, e também CRM on-demand, rápido e fácil de usar, para escritórios remotos e profissionais móveis de vendas e marketing.

· Com a Arquitetura de Integração de Aplicativos Oracle baseada em padrões e o Oracle Fusion Middlewarea integração do Oracle CRM On Demand ao Siebel CRM reduz o risco e possibilita a resolução do problema do silo de dados

· A integração do Oracle CRM On Demand ao Siebel CRM possibilita aos clientes usar menos recursos de TI do que nas integrações personalizadas, já que é pré-construída e desenvolvida para a instalação rápida.

· Os clientes podem contar imediatamente com suporte para várias instâncias do Oracle CRM On Demand, no local ou em ambas integradas.

· Com uma única visão do cliente, a integração do Oracle CRM On Demand ao Siebel CRM fornece flexibilidade às organizações que usam o Siebel CRM para integrar os recursos do on-demand, a fim de adicionar rapidamente usuários de vendas para novas divisões, regiões ou linhas de produtos.

· Conforme os requisitos dos negócios evoluem, as organizações podem sincronizar dados do cliente em tempo real e administrar a integração no nível transacional, além de utilizar as ferramentas de gestão da qualidade dos dados do Siebel CRM.


Citações de apoio
“A estréia da integração do Oracle CRM On Demand ao Siebel CRM é um passo que define o setor, pois permite que as organizações apreciem os benefícios de um sistema de CRM integrado com rapidez e eficácia”, disse Anthony Lye, vice-presidente sênior de CRM da Oracle. “A profunda funcionalidade do CRM no local, a rápida implementação e os recursos fáceis de usar do CRM on-demand são poderosamente combinados para que as organizações extraiam mais valor de seus investimentos em Oracle.”

quarta-feira, 10 de setembro de 2008

O mundo dos upgrades e customizações!

Olá pessoal!

Hoje decidi escrever um pouco sobre procedimentos adotados tanto para upgrades quanto para customizações.

Eu me lembro de que quando comecei a trabalhar com Oracle, achava que meu mundo se reduzia a consertar erros de procedimentos e adotar medidas paleativas!

É claro que é apenas um resumo, mas é muito interessante para quem está começando ter uma visão mais clara.

A seguir um guia básico para minimizar o impacto de um Upgrade do Oracle Applications nas customizações realizadas. Entretanto, será necessário processar tarefas específicas para cada customização durante um Upgrade para assegurar que todas as customizações estão funcionando corretamente com a nova release. As etapas gerais a seguir são:

1. Examinar o manual de instalação;
2. Rever as modificações na base de dados;
3. Identificar customizações obsoletas;
4. Analisar impacto das customizações na nova Release;
5. Desabilitar as triggres de banco de dados;
6. Upgrade do aplicativo;
7. Migrar as Customizações;
8. Reprocessar scripts de permissão e sinônimo;
9. Testar todas as customizações.

1. Examinar o manual de instalação
Muitas destas tarefas listadas acima são detalhadas no Oracle Applications Installation Manual. A primeira tarefa, portanto, é examinar este manual para novas releases e as futuras releases alteradas antes de iniciar a alterações.

2. Rever as Modificações na Base de dados
Se a nova release incluir um manual das mudanças na base de dados ou notas de alterações do produto, rever estes para compreender as mudanças à base de dados. Você deve também baixar as versões novas das aplicações da mídia de instalação e examinar os scripts dos diretórios de upgrade/sql e de instalação de cada aplicação. Isto fornece uma maior compreensão de como as alterações na base de dados foram implementadas.

3. Identificar Customizações obsoletas

Deve-se rever cada customização e determinar se a nova release do Oracle Applications satisfaz as necessidades do negócio para as quais foram feitas cada customização. Se a customização não for mais necessária, deve-se guardar os arquivos e não migrar esta customização para a nova release.

4. Analisar impacto das customizações na nova release
Analise todas as customizações que não são obsoletas para determinar se estas precisam ser alteradas s para trabalhar corretamente com a nova liberação. As técnicas utilizadas dependem do tipo de módulo e se é uma customização ou uma modificação.

Customização
Para todos os módulos que acessarem tabelas da base de dados, compare as mudanças da base de dados na nova release com as tabelas e as colunas acessadas pelo módulo. Desde que armazenado o módulo para tabelar a informação do acesso do Oracle Designer, você pode executar o módulo para tabelar o relatório da matriz para determinar que módulos sejam afetados.
Os menus e as responsabilidades customizadas podem ser afetadas por forms novos ou eliminados do código da aplicação. Manipulação dos campos específicos dos forms pode ser afetada por mudanças internas ao forms.


Modificações
Para os componentes modificados (se algum), compare a versão precedente do módulo standard e a nova release para determinado o que mudou. Avalie se é mais fácil e menos risco ao re-implantar suas mudanças ao novo módulo ou aplique as mudanças na nova release de sua versão customizada.

5. Desabilitar as Triggers de banco para alguma customização
Se alguma customização incluir Triggers na base de dados, deve-se desabilitá-las no ambiente que você está promovendo o upgrade antes de funcionar o AutoInstall.

6. Upgrade da Aplicação
Deve-se, processar o AutoInstall para fazer o upgrade do Oracle Applications. Para as finalidades de migrar as customizações, você deve utilizar um ambiente do teste para primeiro testar o processo da migração neste ambiente.

7. Migrar as Customizações
As customizações, os menus, responsabilidades, e outros componentes da biblioteca de objeto da aplicação serão migrados automaticamente.

8. Re-processar script Grant (permissão) e sinônimos
Re-processar os scripts do grant e sinônimos customizados de modo que todos os objetos feitos customizados na base de dados estejam disponíveis aos módulos customizados e funcionem na base de dados de APPS Standard.

9. Testar todas as Customizações
Como a etapa final do processo do Upgrade, reexamine todas as customizações executando os scripts de teste do documento de teste unitário e de integração.
Abraços e até a próxima!

quarta-feira, 3 de setembro de 2008

Oracle Education Foundation

PRESS RELEASE

Oracle Education Foundation convida alunos e professores a participarem do ThinkQuest Website Competition 2009

Competição desafia estudantes a criarem sites educacionais inovadores, desenvolvendo capacitações de aprendizado do século XXI

Redwood Shores, Califórnia (EUA), setembro de 2008

· A “ThinkQuest Website Competition 2009”, organizado pela Oracle Education Foundation (OEF), já está aberto a equipes de estudantes de 9 a 19 anos de qualquer parte do mundo. Cada equipe deve ser orientada por um professor ou coordenador da escola.

· As equipes têm o desafio de desenvolver um site educacional com tópicos de sua escolha. Os candidatos podem utilizar várias tecnologias e assumir formatos criativos variados em seus sites.

· Os participantes desenvolvem capacitações importantes no século XXI, como trabalho em equipe, raciocínio crítico, auto-suficiência e utilização de tecnologia.

· O prazo de inscrição encerra-se no dia 2 de abril de 2009, dando às equipes até oito meses para criarem seus sites. Educadores profissionais do mundo todo julgarão os sites inscritos.

· Os sites qualificados serão publicados na ThinkQuest Library, o maior repositório on-line do mundo de projetos de aprendizado desenvolvidos por estudantes, visitado por milhões de aprendizes da web todos os meses.

· Dentre os prêmios, estão notebooks, câmeras digitais, bolsas de estudos e, dependendo da colocação, uma viagem para o evento de premiação em São Francisco (EUA).
Novos aprimoramentos

· Além de lançar a ”ThinkQuest Website Competition 2009” , a OEF está expandindo e enriquecendo o ThinkQuest para potencializar a aquisição de capacitações do século XXI por alunos do mundo inteiro. Dentre os novos aprimoramentos, destacam-se:

· A integração da comunidade de aprendizado on-line Think.com da OEF sob a marca ThinkQuest, para facilitar aos alunos e professores a publicação e a criação de projetos de aprendizado;

· Uma biblioteca expandida com recursos educacionais criados por estudantes;

· Um completo programa de desenvolvimento profissional para educadores, incluindo um recém-criado Instituto de Aprendizado com Projetos que oferece treinamento sobre como elaborar projetos de aprendizado envolventes.

· Mais detalhes sobre o ThinkQuest estão disponíveis em www.thinkquest.org.